Dano Moral

- Atualizado em

Justiça manda aplicativo indenizar homem ‘mal avaliado’ no sexo

Os desembargadores da 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenaram, por unanimidade, os aplicativos Facebook e Lulu por danos morais a um homem ‘mal avaliado’ por seus relacionamentos. A condenação foi de R$ 10 mil.

O relator do caso, desembargador Carlos Eduardo Richinitti, esclareceu que o aplicativo Lulu abrangia a avaliação de quesitos como aparência, humor, educação, ambição, sexo e compromisso, a partir de um questionário pré-definido. A usuária poderia escolher hashtags sugeridas pelo próprio Lulu.

De acordo com o Estadão, o autor da ação relatou que “nunca concedeu autorização para ser incluído no aplicativo” e que tentou exigir a exclusão de seu nome do cadastro, mas sem sucesso, e “foi vítima de chacotas entre amigos em razão das hashtags atribuídas a ele”. Além disso, o homem alegou ser “indevida a atitude da empresa em permitir a disponibilização dos seus dados sem autorização” e que, como o aplicativo só podia ser acessado por mulheres, “ficou sabendo da notícia por meio de uma colega de trabalho, aumentando sua vergonha”.

O magistrado destacou que, apesar do Facebook argumentar que seus termos e condições estabeleçam que alguns dados consistem em informações públicas, se aplica o Código de Defesa do Consumidor.

Bahia Noticias

Foto: pixabay.com

No Banner to display

Comentários