seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

Advogado preso era o único a visitar Beira-Mar no RDD

Dos cinco advogados que vêm trabalhando para Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, Paulo Roberto Pedrini Cuzzuol, 55, foi o escolhido para as visitas ao traficante no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) da Penitenciária de Presidente Bernardes (SP).

Dos cinco advogados que vêm trabalhando para Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, Paulo Roberto Pedrini Cuzzuol, 55, foi o escolhido para as visitas ao traficante no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) da Penitenciária de Presidente Bernardes (SP).

A escolha, segundo Adalberto Lustosa, um de seus advogados mais antigos, foi do próprio Beira-Mar. De acordo com as normas de segurança do presídio, somente um advogado pode ser credenciado para as visitas na penitenciária.

Na noite de sexta-feira, Cuzzuol e a mulher, Cecília Hering Rodrigues, 34, foram presos com US$ 320 mil do traficante, segundo a PF (Polícia Federal).

O advogado e a mulher se recusaram a prestar depoimento. Eles estão no presídio Ary Franco (zona norte do Rio). A PF informou não saber se o casal contratou advogado.

Os dólares, segundo agentes da PF que participaram da prisão do casal, seriam entregues ao traficante Sandro Mendonça do Nascimento, o Promotor, no Paraguai, para a compra de drogas, armas e munições.

Lustosa disse que está sem contato com Beira-Mar desde que foi transferido da penitenciária Bangu 1 (zona oeste do Rio) para Presidente Bernardes, em 27 de fevereiro do ano passado. Ele contou que Cuzzuol estava centralizando os trabalhos para seu cliente.

Negócios

A PF informou que Cuzzuol é, hoje, o principal responsável pelos negócios de Beira-Mar no exterior. Segundo os agentes, o advogado disse, informalmente, que recebe 1% dos negócios realizados.

“Fiquei surpreso e achei estranhas essas supostas declarações. Isso seria se submeter à situação de gerente de boca-de-fumo”, disse Lustosa.

A prisão de Cuzzuol também surpreendeu o advogado Lídio da Hora, outro que trabalha para Beira-Mar.

“Se ele [Cuzzuol] estava fazendo isso é porque tinha a confiança total do Fernando [Luiz Fernando da Costa]”, afirmou o advogado, em tom irônico.

Além de Beira-Mar, Cuzzuol defende os traficantes Márcio Amaro de Oliveira, o Marcinho VP, e Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, acusado da morte do jornalista Tim Lopes, em junho de 2002.

OAB

O presidente da seção Rio da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Otávio Gomes, afirmou, neste domingo, que vai abrir um processo ético-disciplinar para apurar o caso.

Ele informou que Cuzzuol será notificado da abertura do processo e terá um tempo para apresentar sua defesa prévia. Se ficar comprovado o envolvimento do advogado com o traficante, ele poderá ser expulso da OAB, afirmou Gomes.

“Não podemos compactuar com isso. Todo advogado que violar nosso código de ética será punido”, disse o presidente da OAB-RJ. O resultado do processo deve sair, no máximo, em 90 dias.

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Médico que acumulava cinco cargos públicos é condenado por improbidade administrativa
Aposentada será indenizada em dano moral por cobrança de seguro não contratado
Distrito Federal é condenado a indenizar aluno ferido em escola pública