seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

Justiça começa a fiscalizar propaganda ilegal

A Justiça Eleitoral deve iniciar hoje a fiscalização de propaganda política que está sendo feita, indiretamente, por meio de adesivos colados nos veículos ou nos out-doors instalados na Grande João Pessoa.

A Justiça Eleitoral deve iniciar hoje a fiscalização de propaganda política que está sendo feita, indiretamente, por meio de adesivos colados nos veículos ou nos out-doors instalados na Grande João Pessoa.

Foi o que revelou ontem à tarde o corregedor regional eleitoral do TRE da Paraíba, Marcos Cavalcanti de Albuquerque.

A fiscalização será extensiva para todo o Estado. Os juízes da propaganda eleitoral que atuam nas 76 Zonas Eleitorais, espalhadas pela Paraíba, receberam ontem determinação, através de comunicado oficial, do corregedor Marcos Cavalcanti para iniciar o trabalho de fiscalização dos carros e out-doors.

Os juízes vão solicitar apoio de equipes das Policiais Militar e Civil e foram orientados pelo TRE a montar operações de fiscalização em ruas e locais movimentados. O corregedor já enviou à imprensa falada e televisiva nota oficial explicando a decisão aprovada pelos membros do Tribunal em sessão extraordinária ocorrida na última terça-feira, dia 13.

Marcos Cavalcanti informou que, primeiramente, será advertido o motorista que estiver usando em seu veículo adesivos com propaganda política ilegal.

Segundo ele, se a pessoa for flagrada pela segunda vez terá que pagar uma multa que varia de 20 a 50 mil UFIRs, que corresponde, respectivamente, a 20 e 50 mil reais. “Os juízes serão orientado a aplicar a multa que consta no artigo 36, parágrafo 3º da Legislação Eleitoral”, esclareceu.

O juiz João Alves, da Propaganda Eleitoral de João Pessoa, ficará encarregado de comandar a fiscalização, com a ajuda da polícia, por meio de blitzen, em toda a Capital. “Quem for reincidente será multado. O período de propaganda eleitoral é em julho, após as convenções dos partidos, que serão realizadas no mês de junho”, enfatizou Cavalcanti.

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Aposentada será indenizada em dano moral por cobrança de seguro não contratado
Distrito Federal é condenado a indenizar aluno ferido em escola pública
Imobiliária tem direito à comissão de corretagem mesmo sem fechar contrato, diz TJ-RS