seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

STJ: Ciência inequívoca de devedor sobre penhora dispensa intimação formal para prazo de impugnação

A intimação é ato formal pelo qual é cientificada a parte sobre algum ato processual, sendo desnecessária sua expedição formal quando a parte comparecer espontaneamente ao processo; demonstrando ciência inequívoca do devedor quanto à penhora realizada, não há necessidade de sua intimação formal para o início do prazo para apresentar impugnação à fase de cumprimento de sentença, tendo como termo a data em que comprovada a ciência.

O entendimento acima consta no voto do ministro Fischer ao dar provimento a embargos de divergência em sessão da Corte Especial realizada nesta quarta-feira, 29.

No julgado embargado constou que o ato formal de penhora se efetiva com o documento gerado pelo Sistema BacenJud, enquanto o ato formal de intimação da penhora não se efetiva pelo comparecimento espontâneo nos autos, sendo indispensável a expedição de mandado com advertência do prazo para oferecimento da defesa, intimação essa que deve ser pessoal.

No caso, o devedor peticionou nos autos após bloqueio e transferência de valores, impugnando pedido do credor com objetivo de obstar o levantamento dos valores, iniciando, portanto, o prazo para impugnação, de acordo com o ministro Fischer, pois constatada ciência inequívoca da penhora.

A decisão foi unânime.

Processo relacionado: EREsp 1.415.522

STJ/MIGALHAS

foto pixabay

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Sócios que não provam solvência de empresa executada respondem pela dívida com bens próprios
TJ/SE concede afastamento a juíza para jogar torneio de beach tennis
TJPB: Desembargador Ricardo Porto mantém validade de assembleia que destituiu síndico