seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

Justiça prende surdo e mudo e diz que ele invocou direito ao silêncio

Justiça prende surdo e mudo e diz que ele invocou direito ao silêncio

No documento de prisão, o delegado afirmou que Leonardo Bezerra foi interrogado e que permaneceu em silêncio

Rio – Um jovem com surdez foi espancado, na penúltima segunda-feira, 28, após moradores de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, terem suspeitado de tentativa de roubo. De acordo com o RJ2, Leandro Bezerra foi preso após ter sido levado para a 58ª DP (Nova Iguaçu). No documento, o delegado afirmou que o jovem foi interrogado e que permaneceu em silêncio.

A família de Leonardo defende que ele não sabe ler, escrever, que não compreende libras e que não consegue fazer leitura labial. “Meu irmão é um menino carinhoso, trabalhador, prestativo, trata as pessoas bem. É um menino de ouro. Ele sempre faz a gente rir”, afirmou a irmã do rapaz à reportagem.
Em um vídeo, é possível ver Leonardo sangrando enquanto estava sentado no meio fio de uma calçada. A mãe do jovem contou ao RJ1 que ele saiu de casa para comprar pão quando foi acusado de ter tentado roubar o telefone de uma mulher. “Machucaram ele, bateram nele. Covardia, injustiça foi isso que aconteceu. Ele não fala, ele não escuta. Ele tava com a bicicleta dele. Covardia”, contou.
Após duas audiências de custódia, a Justiça confirmou a prisão de Leonardo. Apenas na segunda, havia um intérprete de libras para acompanhar o jovem. No momento, ele está preso no presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio.

Fonte: O DIA
https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2022/04/6377294-jovem-com-surdez-e-preso-apos-suspeita-de-roubo-familia-defende-inocencia.html

Em artigo publicado no Conjur, o jurista Lenio Luiz Streck “se o rapaz é surdo, mudo, não se comunica por sinais e tudo indica não ter antecedentes criminais, por qual razão, por cristo e todos os santos, o juiz não aplicou medidas cautelares? Mesmo que tivesse antecedentes, as circunstâncias não indicariam a substituição prevista no art. 319 do CPP?
E pergunta! O que foi que fizemos para a deusa da justiça?

#surdo #mudo #direito #silêncio #interrogatório

Foto: divulgação da Web

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Cabe ao juízo da execução penal escolher instituição que deve receber valores oriundos de ANPP
Averbação em matrícula de bem impenhorável não se confunde com a efetiva penhora
Sócios que não provam solvência de empresa executada respondem pela dívida com bens próprios