seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

STJD julgará casos de Vasco, Lusa, Fla e Cruzeiro a partir de 11h de sexta

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) divulgou o edital dos processos que serão julgados na próxima sexta-feira, a partir de 11h (de Brasília), em seu plenário, no Rio. Os casos em pauta serão os de Vasco, Portuguesa, Flamengo e Cruzeiro.

O julgamento do Vasco diz respeito ao pedido de impugnação da partida contra o Atlético-PR, pela última rodada do Brasileirão, em Joinville. O argumento dos cariocas é de que o jogo não tinha condições de ser retomado por causa da briga entre torcedores na arquibancada e que o tempo de paralisação excedeu os 60 minutos previstos no regulamento.
O caso será levado a julgamento depois de ter sido rejeitado por duas vezes pelo presidente do STJD, Flávio Zveiter. Apenas a terceira tentativa do Vasco será levada ao Pleno.
Os recursos de Vasco e Atlético-PR a respeito das perdas de mando de campo (oito e 12, respectivamente) e das multas (R$ 80 mil e R$ 140 mil), por causa das brigas, serão julgados em janeiro, em dia ainda não determinado. Os casos de Portuguesa e Flamengo são referentes às escalações irregulares de Héverton e André Santos, respectivamente. Os dois clubes foram punidos com a perda de quatro pontos no último dia 8, em decisão que resultou na queda da Lusa para a Série B, no lugar do Fluminense.
O Cruzeiro será julgado por ter relacionado o goleiro Elisson na partida contra o Vasco, pela 36ª rodada. O campeão brasileiro foi absolvido em primeira instância e, mesmo que seja punido no Pleno com perda de três pontos, não perderá o título – já que ficou 11 pontos à frente do Grêmio, segundo colocado. Elisson estaria sem contrato válido com o Cruzeiro na época do jogo.

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Caso de escritora condenada a indenizar juiz por obra de ficção é levado à OEA
CNJ instaura processo contra o TJBA: “É como se metade dos processos tivesse uma movimentação por ano”
Justiça concede indenização a contadora que trabalhou por 9 anos sem férias