seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

Cemitério deverá ser transferido por risco de contaminação de cisternas de casas vizinhas

O Cemitério Campo da Paz, no município de Santo Antônio do Descoberto, terá de ser transferido para local autorizado pela Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Goiás (Semarh). O município terá de recuperar os danos ambientais e à saúde ocasionados pelo funcionamento do cemitério sem licença de operação. O plano de recuperação deverá ser apresentado em 90 dias. Em caso de descumprimento, foi fixada multa diária de R$ 5 mil, limitada a 90 dias, que será destinada ao Fundo Municipal do Meio Ambiente.

O município ainda não poderá praticar qualquer ato que cause dano ambiental, sob pena de multa diária de mil reais, também limitada a 90 dias. A decisão monocrática é do juiz substituto em segundo grau José Carlos de Oliveira (foto), que manteve inalterada sentença da juíza da 2ª Vara Cível, Fazendas e Registros Públicos, Patrícia de Morais Costa Velasco.

A ação foi proposta pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) que, após Laudo Técnico Pericial Ambiental, constatou que o cemitério funcionava com diversas irregularidades como risco de contaminação de cisternas de casas vizinhas pela não disponibilização de “sistema de impermeabilização para a contenção do líquido cadavérico”. A contaminação pode transmitir hepatite, poliomelite, cólera, leptospirose e febre tifóide.

O laudo também observou que o morro próximo ao cemitério apresenta erosão. “A encosta do morro, que é uma Área de Preservação Permanente (APP), possui vegetação nativa do Cerrado, sendo possível notar a erosão laminar, processos de ravinamento e paralelo ao muro do cemitério uma erosão”, citou o documento.

Ao manter a sentença, José Carlos destacou o parecer da Procuradoria Geral de Justiça de Goiás que ressaltou que o município não cumpriu as recomendações do Relatório de Controle Ambiental e Plano de Controle Ambiental e, por isso, não conseguiu a expedição da licença de operação para o funcionamento.

A procuradoria citou o laudo e as fotos apresentadas para aduzir que “a prova pericial carreada aos autos pelo MPGO possui o condão de provar a existência de danos ambientais causados pelo Cemitério Campo da Paz, do município de Santo Antônio do Descoberto, pois apresenta elementos relevantes caracterizadores do prejuízo para a saúde pública e o meio ambiente da municipalidade”

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Cabe ao juízo da execução penal escolher instituição que deve receber valores oriundos de ANPP
Averbação em matrícula de bem impenhorável não se confunde com a efetiva penhora
Sócios que não provam solvência de empresa executada respondem pela dívida com bens próprios