seu conteúdo no nosso portal

Nossas redes sociais

Tribunal de justiça terá 7 feriados entre 12 de junho e 4 de julho

Além do feriado nacional de Corpus Christi, no dia 19 de junho, o Tribunal de Justiça (TJ) do Rio terá sete dias sem expediente durante o mês de junho e início de julho: 12 (quinta-feira), 17 (terça-feira), 18 (quarta-feira), 20 (sexta-feira), 23 (segunda-feira), 25 (quarta-feira) e 4 de julho (sexta-feira). O TJ – que está em ritmo de mutirões para dar conta da grande demanda de processos – explicou em nota que se baseou em decretos do governo do estado, que determinou ponto facultativo após as 12h nos dias de jogos do Brasil na Copa e em competições entre seleções estrangeiras no Maracanã. A nota informa que ao considerar o horário de expediente, que começa às 11h, a presidente do tribunal, desembargadora Leila Mariano, decidiu suspendê-lo nesses dias porque seria muito oneroso para os cofres públicos o funcionamento por apenas uma hora.

No entanto, conforme Ato Executivo Conjunto nº 11/2014, publicado hoje (ontem) na página do Tribunal de Justiça, será prorrogado em uma hora o expediente nos dias úteis consecutivos aos jogos , para compensar as folgas. O TJ manterá seu plantão Judiciário e o juizado do torcedor, no Maracanã.

O decreto 44.827 faculta o ponto a partir das 12h nos dias 12, 17, 18, 23 e 25 de junho, mas não no dia 20, uma sexta-feira após o feriado de Corpus Christi. E também torna facultativo o ponto integralmente em 4 de julho, dia de jogo do Brasil, caso a seleção se classifique em primeiro lugar para as quartas de final.

Também por meio de nota, a OAB/RJ disse que vai acompanhar o atendimento no plantão.

Sobre o período de recesso do Tribunal de Justiça, e dentro de seu papel institucional, a OAB/RJ acompanhará o atendimento do plantão Judiciário para avaliar o andamento dos casos e, se necessário, cobrar melhorias , informa a nota. A Ordem afirma ainda que reforçará o atendimento da Sala do Plantão da OAB/RJ, que funciona junto ao plantão Judiciário, permitindo aos advogados terem mais agilidade na condução dos processos.

Compartihe

OUTRAS NOTÍCIAS

Sócios que não provam solvência de empresa executada respondem pela dívida com bens próprios
TJ/SE concede afastamento a juíza para jogar torneio de beach tennis
TJPB: Desembargador Ricardo Porto mantém validade de assembleia que destituiu síndico